Arboviroses:
como ficar longe dessas doenças


O que são arboviroses?

Você certamente conhece, mas pode não ter relacionado com esse nome. São doenças infecciosas transmitidas por insetos e aracnídeos. Comuns em regiões de clima tropical e subtropical, cerca de 150 arbovírus podem gerar doenças em seres humanos e as principais delas são a dengue, a zika e a febre chikungunya, além da febre amarela, que voltou a preocupar os brasileiros recentemente. Os vírus causadores dessas doenças circulam ao mesmo tempo no Brasil, transmitidos por um mesmo vetor — o mosquito Aedes aegypti. Por isso, o controle dessas doenças é um desafio de saúde pública do qual todos temos que contribuir.



mosquito aedes transmissor da dengue, chikungunya, febre amarela e zika


Dengue

Aparição no Brasil: século 19

Principais sintomas: febre alta, dor de cabeça, dores no corpo e articulações, fraqueza, dor atrás dos olhos e manchas vermelhas na pele, às vezes com coceira. Pode haver ainda perda de peso e vômito e, na forma grave, dor abdominal e sangramento de mucosas

Transmissão: principalmente pela picada do mosquito Aedes aegypti, mas há registros de transmissão vertical (gestante-bebê) e por transfusão de sangue


Zika

Aparição no Brasil: 2015

Principais sintomas: dor de cabeça, febre baixa (ou ausente), dores leves nas articulações, manchas vermelhas na pele com coceira intensa e vermelhidão nos olhos. Eventualmente, também inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômito

Transmissão: principalmente pela picada do mosquito Aedes aegypti, mas há registros de transmissão vertical (gestante-bebê) e por transfusão de sangue


Chikungunya

Aparição no Brasil: 2014

Principais sintomas:febre alta e abrupta, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele, com coceira intensa.

Transmissão: pela picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus

Prevenção

A melhor maneira de prevenir arboviroses é evitar as condições propícias à proliferação dos insetos transmissores, ou seja, ambientes com água parada, onde os ovos do mosquito são depositados.

  • Mantenha tonéis e caixas d’água bem fechados
  • Não deixe acumular água em calhas e lajes
  • Encha os pratinhos de vasos de plantas com areia até a borda
  • Feche bem os sacos de lixo e não deixe-os ao alcance de animais
  • Mantenha garrafas e outros recipientes que podem acumular água virados para baixo
  • Não acondicione pneus em locais descobertos
  • Faça manutenção regular nas piscinas
  • Se utilizar lonas para cobrir algo, certifique-se de ficarem bem esticadas para não acumular água
  • Lave e esfregue os potes de água dos animais de estimação
  • Limpe a bandeja do ar-condicionado para evitar o acúmulo de água
  • Mantenha ralos limpos e tampados, ou com tela
  • Verifique e mantenha fechados vasos sanitários pouco usados ou sem uso

Cuidados pessoais

O risco de infecção por dengue, zika e chikungunya é reduzido se as picadas puderem ser evitadas. Portanto:

  • Use repelente e não se esqueça de reaplicar conforme as orientações do fabricante
  • Coloque telas em portas e janelas
  • Utilize roupas claras e compridas sempre que possível, principalmente quando visitar áreas com maior presença de mosquitos
  • Evite, se possível, viajar para áreas com maior incidência dessas doenças no período
  • Pessoas infectadas devem seguir as recomendações citadas, para evitar a propagação da doença
  • Em casos de sintomas, procure um médico
  • Denuncie focos do mosquito à Secretaria de Saúde da sua cidade

Grávidas: atenção redobrada


  • Faça o pré-natal corretamente
  • Realize todos os exames recomendados pelo médico
  • Utilize roupas claras e compridas sempre que possível, principalmente quando visitar áreas com maior presença de mosquitos
  • Aplique repelentes indicados para gestantes, principalmente se estiver vestindo roupas que deixem áreas do corpo expostas
  • Se possível, evite viajar para regiões mais afetadas pelos vírus
  • Procure ficar em locais com telas de proteção, mosquiteiros ou outras barreiras disponíveis

Fique informado

  • A dengue possui quatro subtipos: DENV 1, DENV 2, DENV 3 e DENV 4. A infecção pelo subtipo 2 pode evoluir mais gravemente em quem já teve dengue tipo 1

  • Não é possível ter chikungunya mais de uma vez

  • Cerca de 80% das pessoas infectadas pelo vírus zika não desenvolvem sintomas

  • Não há medicamento que cure a dengue. Os sintomas é que são tratados, de modo paliativo

  • Depois da postura, os ovos do Aedes aegypti podem sobreviver por até um ano em ambientes secos. Por isso, não adianta apenas secar os reservatórios de água parada. É preciso limpá-los

  • O verão favorece a reprodução do Aedes aegypti, porém, os cuidados devem ocorrer no ano todo. No inverno, é necessário eliminar os criadouros para impedir que as larvas eclodam quando voltarem as chuvas e as altas temperaturas

  • Lei de 2016 permite que os agentes de combate a endemias realizem entrada forçada em imóveis com ausência de pessoa que permita acesso ou no caso de recusa de acesso, para verificar potenciais focos de mosquitos